:: o nosso filho

20:19



ter um filho é o acontecimento de maior realização na vida de alguém. sentir que um ser nasce a partir de nós, que será cuidado por nós, que irá crescer sempre ao nosso lado, ter opinião, atitude, princípios, forma de estar, que serão sempre um espelho de nós. um espelho do que educamos, mas muito mais um espelho do que somos. pode-se amar muito alguém com que nos cruzamos na vida, mas nunca tanto como aos nossos filhos. nem sequer com quem o fez junto. sangue do nosso sangue, pele da nossa pele, o carinho de um filho é sempre maior que o carinho de qualquer pessoa. a felicidade de ver um filho sorrir, vê-lo feliz, realizado, em paz, é único. hoje, que o aprendi, esforço-me muito mais para mostrar aos meus pais que estou bem, realizado, feliz. porque sei que é um sossego para eles. que se sentem melhor, por me saber melhor.

com os ritmos desta vida louca, que tantas vezes quebra o caminho originalmente pensado, as novas famílias trazem consigo os novos pais: os pais dos filhos que já existem, que serão nossos por interposta pessoa, e não nossos de sangue. admiro, muito, sempre que vejo alguém cuidar com ternura do filho de outra pessoa como se fosse dele. quando se quer com o mesmo carinho, o mesmo cuidado, como se fosse nosso. quando se tem a mesma aflição permanente..
eu nunca tinha amado por interposta pessoa. amei os meus pais porque são meus, a minha família, porque é minha. por isso é tão novo e desafiante amar um ser, não por ele (ainda), mas por ser filho de quem é. amar o filho de com quem estamos, é das maiores provas interiores - para nós próprios - de querer. e de vontade, férrea, de ter uma família, uma história com quem amamos.

e desafiante: a um filho nosso pode-se berrar, exigir, mandar. sabemos que ele nos irá querer sempre, só por sermos quem o trouxe a este mundo. ao novo filho, temos de conquistar, de cativar. temos de ser o pai, mas também o conquistador. temos de amar, mas também saber fazer com que nos amem. por isso, os novos pais são postos ainda mais a prova. são pais e namorados do mesmo filho. são educadores e, ao mesmo tempo, conquistadores. desafio docemente único. sim, eu amo o teu filho, porque é teu. será um dia um bocado meu, mas será sempre primeiro teu. e de quem o criou contigo. mas ver-lhe um sorriso por minha causa, faz-me feliz. saber que ele pergunta por mim, faz-me feliz. ouvir-te dizer o nosso filho, é a emoção mais pura numa palavra tão simples: nosso. porque mesmo sem o ser, anseio, vibro, sinto-me, todos os dias, pai dele. porque é o nosso filho. como o nosso amor.


ps: dedicado a alguém que conheço há 33 anos, e que é uma doce nova mãe exemplar..

You Might Also Like

5 comentários

  1. Creio que esse amor é tanto maior quanto menos o "pai por interposta pessoa" gosta de crianças, quer ter filhos, sonha com uma vida de família. É um caminho sinuoso, espinhoso... mas certeiro.

    ResponderEliminar
  2. conheço essa história, e vivo uma igual :)

    ResponderEliminar
  3. não te conheço mas vou comentar: "eu tenho uma filha" que tem a mãe dela, mas que me tem também como mãe, eu amo esta criança como se fosse minha, mas acima de tudo por ser filha do meu companheiro, do meu tudo.
    Boas festas

    ResponderEliminar
  4. Lindo...até fiquei sem palavras. O que é raro em mim...

    ResponderEliminar
  5. Anónimo13.2.14

    Lindooooooo.
    Eu tb amei como se fossem minhas e tanto sofri qd mas tiraram.
    Bem haja

    ResponderEliminar

FACEBOOK

FOLLOWERS